Jaguaquara avança no campo da segurança alimentar e nutricional

terça-feira, 22 de março de 2016

Primeiro município da Bahia a aderir ao Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sisan), Jaguaquara, no centro sul do estado, Jaguaquara colhe os resultados da iniciativa, como o fortalecimento das ações do Departamento de Segurança Alimentar e Nutricional (Desan), criado em 2011, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social.

A adesão ocorreu em 2015, mas o Desan já vinha atendendo famílias em situação de vulnerabilidade social e insegurança – atualmente são 700 -, realizando periodicamente visitas e acompanhamento do peso dos seus membros. Em casos extremos é feita a distribuição de uma cesta nutricional mensal, principalmente para as que possuem crianças e gestantes.

O desenvolvimento e planejamento das atividades são realizados a partir dos índices sobre a situação de vulnerabilidade populacional no município, que integram os dados de monitoramento do Plano Brasil Sem Miséria, iniciativa do governo federal. Jaguaquara tem uma população estimada em 51.011 habitantes, 11.518 residentes na zona rural.

Segundo a diretora do Desan, Edione Agostinone, a adesão potencializou a agricultura familiar, a partir dos programas Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), Aquisição de Alimentos (PAA/Justiça Social) Aquisição de Alimentos da Conab. “A nossa maior preocupação é fortalecer a segurança alimentar no município, que, apesar de rico em produção agrícola, ainda tem uma parcela da população pobre, sem poder de compra, vinculada aos serviços da prefeitura ou das instituições filantrópicas locais”.

Ago ressalta ainda que o Desan avançou no apoio aos agricultores familiares, promoveu geração de trabalho, renda e autonomia. “Hoje, distribuímos cestas básicas nutricionais, com produtos da agricultura familiar para pacientes com doenças graves como câncer, diabetes, tuberculose, e outras doenças”.

Saiba mais 

O Departamento de Segurança Alimentar e Nutricional acompanha 700 famílias do município em situação de vulnerabilidade social e insegurança alimentar, realizando periodicamente visitas e acompanhamento do peso dos membros da família. Em casos extremos é feita a distribuição de uma cesta nutricional mensal, principalmente para as famílias que possuem crianças e gestantes.  Além disso, quando se faz necessário, essas famílias ou um de seus membros são encaminhados a outros equipamentos de defesa dos direitos humanos como os centros de Referência de Assistência Social (Cras) e de Referência Especializado de Assistência Social (Creas). Em casos das famílias que não recebem o Programa Bolsa Família, o Desan encaminha para cadastro no CadÚnico.

Para o prefeito Giuliano Martinelli, adotar uma Política de Segurança Alimentar e Nutricional implica em atacar vários e complexos problemas, na zona rural e urbana, e, mais do que isso, fazer de forma consistente e integrada, rompendo com as práticas populistas e assistencialistas. De acordo com ele, é preciso “criar, a cada dia, novas formas de garantir a todos o acesso aos alimentos básicos, necessários e suficientes para uma melhor qualidade de vida. Por meio de parcerias, convênios, serviços e cursos de qualificação, buscar atender de forma eficiente os objetivos do Desan e constituir um elo da Política de Segurança Alimentar e Nutricional no município”. O prefeito informou que a adesão ao programa de acesso à água, por meio das cisternas de produção, também favoreceu o fortalecimento da agricultura familiar. (Fonte: Ascom/Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS)



 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
 

Copyright © Site Binho Locutor 2016.