Empresa denuncia PRF por cobrança indevida de guincho e aluguel de pátio

Uma empresa de coleta de lixo relata que foi vítima de uma cobrança abusiva pelo serviço de guincho e aluguel de pátio por parte da Polícia Rodoviária Federal (PRF). O caso ocorreu na BR-324, nas proximidades do município de Simões Filho, na manhã dessa terça-feira (4).

Segundo relatado por um funcionário da empresa ao Bahia Notícias, um de seus motoristas foi abordado por agentes da PRF por volta das 11h. Primeiro, os agentes checaram os documentos do carro e habilitação do motorista, que, de acordo com a fonte, não tinham qualquer irregularidade. Depois, os fiscais apontaram a ausência do pneu socorrista e o desgaste em duas faixas refletivas.

"O motorista explicou que, como se trata de um caminhão de coleta de lixo, todo dia ele é lavado, então realmente desgasta, mas disse que quando chegasse na empresa, colocava. Aí eles cobraram: 'mas está faltando o pneu de socorro'. E o motorista explicou que por trabalharmos dentro da área da BR-324 e como nossa garagem é próxima, a gente tem um caminhão socorrista que, quando o carro fura o pneu, vai pra o acostamento e nosso pessoal vai lá para trocar", detalha o funcionário.

De acordo com o denunciante, inicialmente os agentes fizeram o motorista acompanhá-los até o pátio. Mas, cerca de 200 metros depois, mandaram o condutor descer do veículo e aguardar a chegada do guincho.

"O 'guincho' foi um motorista da empresa Guto Localização com o proprietário. Vieram numa camionete pequena, aí o motorista desceu, assumiu o volante do nosso carro e conduziu o veículo até o pátio deles", ressalta. (Nota do BN)

Comentários

Mais lidas

Itaquara: Jardim do Cinquentenário é requalificado pela Prefeitura

Grávidas ficam mais sensíveis a ameaças que se aproximam da barriga no fim da gestação

Wagner questiona se Moro vê sensacionalismo em divulgação de grampo de Dilma e Lula